Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Noções de tempo


A família aumentou. A minha sobrinha linda chegou no dia de Portugal e do meu rei. Grande como o pai e a fazer mover a tia, a avó e a prima. Do tipo "mexam-se que eu vou nascer! O que é que vocês estão a fazer em Espanha?!?"

O trabalho é mais que muito, o tempo escorre-me por entre os dedos e, apesar de tudo, parece que a vida começou ontem. Há tempo para tudo? Não sei... ás vezes parece-me que sim, outras tenho a certeza que não.

Quando no último domingo cheirava o benjamim da família(pronto, dei-lhe umas snifadelas jeitosas), lembrava-me do cheiro da minha pequena. Saudades da minha bébé...

A Kélita vai para a primária daqui a dois meses. Dois meses voam, mas para ela "ainda falta tanto tempo".
O tempo... uns dias voa, outros parece um relógio sem pilhas.

2 comentários:

Mad disse...

Parabéns! E como se chama a caganita?

FL disse...

Catarina:-)