Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

domingo, 25 de maio de 2008

Haverá vida para lá do veículo de substituição?

Espero bem que sim... Já vou no segundo, em 3 meses!
Não sei porquê (!) mas começo a ganhar aversão a Peugouts. Deve ser por o último ter sucumbido a 140 Km/h em plena A5... às 6h30 da manhã e eu a precisar de estar em Braga às 9h45. Ou é isso ou mania minha, não sei!

3 comentários:

Mad disse...

Talvez devesses largar os Peugouts e pedir um Peugeot. Digo eu, que não percebo nada de carros, sei lá.

LOL!

FL disse...

Estúpida:-)

Beijo grande

João Paulo Cardoso disse...

Cnfesso que nunca gostei muito dos Peugouts.
Até porque não os encontro em lado nenhum e eu bem calcorreio os 'standers' do nosso Portugalindo querendo comprar essa viatura mítica.

Já os Peugeot estão no topo das minhas preferências, basta ostentarem um leão no focinho metalizado.
Já os conduzi, mas nunca tive nenhum.
Há-de chegar o dia.

Welcome back, we need you.

Beijos.