Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Sou só eu...

... ou o meu telemóvel até tira umas fotos giras?!

Hum?

3 comentários:

Mad disse...

Caramba! Onde é?

João Paulo Cardoso disse...

Sim, onde é?

E estavas com quem?

Estava frio ou assim-assim?

E o que é que foi o almoço?

E porque é que sou tão parvo e estou para aqui a gastar o meu tempo, inclusive com o patrão ali à minha frente a perguntar-me se estou a trabalhar e eu a dizer que sim, e no entanto não consigo deixar de escrever e... AAAAARRRRGGGHHH!!!!!!!!

Meio a sério, meio a brincar:

"Magalhães, o portátil e o punível"

No "Eldorado"
(http://oeldorado.blogspot.com)

Beijos.

FL disse...

Mad,

A da ponte sobre o Tejo - tirada em andamento na Av. da Índia - não respondo, pois é por demais evidente;-)

As outras duas são em Belver. Giro, não?

Beijos

JP,

Muito bem acompanhada. O almoço foram umas fantásticas febras com açorda na Lena da Barragem.

Beijo