Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O meu chapéu tem três bicos

Correu tudo muito bem! Se esquecermos que eu me engasguei a ler e que a Kélita esfregou as mangas da camisa nova na cobertura do cheesecake de morango...
A Princesa estava linda, apesar da febre. A comida divinal e o ambiente muito descontraído e bem disposto.

Paletes de crianças (6... só na nossa mesa!). E o meu mano e a minha cunhada sempre com partidas tontas... puseram as mesas a cantar canções infantis!
E a mim calhou-me "O meu chapéu tem três bicos" e digo "calhou-me" porque os meus companheiros de mesa já tinham fugido todos.
Momento alto em que, com a minha sobrinha ao colo, cantava sozinha com a sala toda a olhar para mim... Sim senhor, o mano é o maior!

2 comentários:

Mad disse...

Eu não disse que a vinhaça funcionava???

FL disse...

Foi do branco, do tinto e champagne!
Festa é festa:-)