Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Estados d'alma

Ando com um piquito a azedo... Tipo "estragada".
Nem é por nenhum motivo em especial. É por uma dúzia deles!
Alguns estúpidos e insignificantes, mas que chateiam. Outros que além de graves, são recorrentes e calcam-me que é uma loucura.
Ou há-de ser o fdp (que é como quem diz "filho-da-puta" sem dizer) do advogado brasileiro que acha que só porque ele quer, eu vou pagar a correr uma dívida exorbitante a um cliente dele, dívida que nem sequer é minha. O raio do gajo, além de brasileiro, é burro e à conta dessa burrice tive de soletrar tantas vezes 'hotmail' que me senti tipo Sónia do "dábriu-dábriu-dábriu-dábriu.iutubi.côm". A gota de água foi quando dei por mim a dizer algo como "rótimail" e nem assim o tipo entedeu. Fónix!
Dei uma de chinelo no pé e mão na cintura e disse-lhe que se me telefona mais alguma vez lá para casa, processo-0 por assédio. Deu-me gozo dizer-lhe que dou graças a Deus por não ser brasileira... deu para sentir o gajo a espumar de raiva do outro lado da linha enquanto dizia "com certeza" !!!
Tirando essa, que é tipo triângulo das Bermudas e me custa a entender c'umó caraças, há ainda a da casa, a da guarda, a da conta da PT com 3 anos, a do divórcio, a da partilha, a daquele cuja ex quer continuar casada por muito e bons anos, a da mãe que não deixa, o do pai que não quer, a da filha que quer lá saber, a do irmão que vai aparecendo, a da cooperativa que pede mais 1.500€...
Enfim... para não falar do que me rodeia! Amigas com um historial de cães epiléticos, mas que insistem em ter cães e outras que arranjam sarna para se coçar em cada esquina (aka "gajos-em-processo-de-divórcio-mas-que-ainda-vivem-lá-em-casa-com-a-futura-ex").
Ando a precisar de férias. Num spa é que era... massagens, saunas e coisas do género era o ideal.
Mas há falta disso, marcou-se 3 dias na Estrela que vão ser 'dubest'. Nem que seja pelo frio entranhado até á espinha, para me sentir viva.
Vamos ver se neva e faz frio. Assim, condiz com o meu estado.

4 comentários:

João Paulo Cardoso disse...

Nada como três dias na Serra da Estrela para esfriar a cabeça.

Vai na nave
Fica na neve
Volta nova.

(estas tentativas de poesia estão cada vez mais patéticas...)

Beijos.

Mad disse...

O MEU CÃO NÃO É EPILÉCTRICO! É mimadíssimo, gordíssimo, mansíssimo, lindíssimo, mas infelizmente está doentinho.

De trombas.

PS - Ou não era comigo? Cá pra mim não era...

Pedro Viegas disse...

Vai de férias. Arrasa na neve, atira-te de quatro, rebola por lá, esfria a cabeça.
Quando voltares, os amantes da tua escrita, estão por cá.
A MAD, já vi, é um doce para ti.
A amizade não te larga, por mais que a vida te afaste, portanto como sobrevivente JÁ GANHASTE.

Maria do Desassossego disse...

Vamos lá por partes...

JP, patético, mas um querido!

Mad, é ÓBVIO que não era contigo! Achas que és a minha única amiga louca? Naaaa, não faço por menos de meia dúzia:-)
Beijo na moleirinha.

Pedro, sê benvindo ao tasco e obrigada pelos comentários simpáticos!