Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

O Rei está vivo

Conheço as letras, as músicas, os filmes. Posso não ser a fã n.º 1, mas sou fã. Estava ele quase no fim, quando eu nasci...

Pela voz do meu pai (que não sabia duas palavras de inglês) ouvi muitas das canções dele. Era deliciosa a maneira como ele dizia my blue suede shoes...

Ternurenta foi também, mais tarde, aquela que inventaram... de ter sido o Forest Gump a ensiná-lo a dançar. Por essas e por outras, amo esse filme.
Para poderem cantar à vontade:

Love me tender,
love me sweet,
never let me go.

You have made my life complete,
and I love you so.

Love me tender,
love me true,
all my dreams fulfilled.

For my darlin' I love you,
and I always will.

Love me tender,
love me long,
take me to your heart.

For it's there that I belong,
and we'll never part.

Love me tender,
love me dear,
tell me you are mine.

I'll be yours through all the years,
till the end of time.

2 comentários:

Ricardo Fonseca disse...

O Elvis não morreu...fez um retiro com o Bruce Lee...outro que também não morreu...

FL disse...

Ricardo,

Hum... nunca se sabe:)