Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Contado, ninguém acredita

Mas é verídico. Passou-se à minha frente. Não comigo, que sou loira mas de burra tenho pouco.

Já dizia a boa da Mad, há uns tempos, que há morenas e "morenas".

Conversa ao telefone:

Colega: O seu nome é?

Cliente: Dora Boavida

Colega: Como?

Cliente: Dora Boavida. É tudo pegado.

Vai daí, segue um e-mail destinado à "Exma. Sra. D. Doraboavida".

Quando confrontada com o disparate, a colega saiu-se com esta pérola: “Não tenho culpa, a senhora disse que era tudo pegado!

E a burra sou eu? A ruim sou eu? Hum!? Argh!

5 comentários:

Rosa Maria disse...

Obrigada pela vista.

Estou "malade" da cabeça...

Que o 2008 seja tudo o que desejas.

Beijinhos

FL disse...

Óh tia! Os males da cabeça curam-se com uma valente carraspana!

Beba uns copitos de aguardente de medronho com mel, que isso passa.

Beijocas

AL disse...

Mas que conselhos são esses??
Então hoje tb vou precisar, pois como a minha amiga Rosa Maria, estou muito malade da cabeça!!!
Beijocas

FL disse...

Mãe,
Tu está proibida de te emborrachar antes das 19h. Tens de ir buscar a tua neta à escola. Depois disso, estás à vontade!
He, he, he :-D

Beijos e as melhoras também.

PS: a idade é tramada.

AL disse...

ah!ah!ah!
Só com horas marcadas!!!
Já viram isto????
Beijocas