Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

A Soma dos Dias

O meu Homem acertou em cheio numa das prendas de Natal.

Comecei ontem a ler A Soma dos Dias de Isabel Allende.


Há coisas estranhas. Nunca tinha lido um livro dela. Não sei porquê, mas tinha uma resistência aos livros dela. Sem explicação. Já várias pessoas me tinham gabado a escrita dela, mas eu continuava a achar que não gostava.


É uma mistura de livro de memórias, auto-biografia e diário. Estou a adorar.
Ontem à noite tive de me obrigar a parar, senão lia o livro de empreitada, até às tantas da manhã. Li uma meia dúzia de capitulos. Não vou demorar muito a terminá-lo.

As manualidades roubam-me tempo à leitura. Tenho 4 encomendas para acabar, mas agora tenho de ler este livro.

Além deste, há mais uns seis por ler na mesa de cabeceira. Os últimos do José Rodrigues dos Santos e do Miguel Sousa Tavares, mais um do Nicolas Sparks (a meio), O Português que nos pariu, da Ângela Dutra de Menezes (também a meio) e Inês de Castro - A Estalagem dos Assombros, de Seomara da Veiga Ferreira...

2 comentários:

Mad disse...

Põe tudo de lado e ataca a Allende, vais ver que não te arrependes. Podes começar pela Casa dos Espíritos, Retrato a Sépia, o terceiro desta trilogia de que eu não me lembro o nome, O Meu País Encantado, Eva Luna, Contos de Eva Luna, De Sol e de Sombra,..... são todos excelentes.

Flora disse...

Mad,

Tudo, TUDO de lado não posso por. Mas a Soma dos Dias não vai levar muitos dias a ler.

Já tenho lista de compras para a FNAC :-)

Beijos