Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

The flow

Acabei de entregar duas malas em preto. Quem me conhece, sabe que é uma cor que eu de-tes-to, pelo que estas custaram um bocadinnho mais a fazer.

Agora vou fazer uma em amarelo (!). TODA em amarelo! Ai, ai, o que seria do amarelo se gostássemos todos do mesmo.
Há pouco perguntavam-me "E pregadeiras? Não há pregadeiras?". E eu respondi "As clientes querem malas... I've got to go with the flow!".

De cada duas que faço, encomendam-me mais duas. E nos intervalos tenho de fazer umas pregadeiras.

Não fosse a minha ajudante (aka Mãe) e estava tramadinha. É ela a responsável pelos forros das malas (coser à máquina não é a minha especialidade...)

Está bonito! Haja mãos. Quando não chegarem as 4 que andamos a usar, não sei o que vou fazer.

2 comentários:

JP disse...

"Malas em preto" e "todas em amarelo"??

O que é que aconteceu ao uso de termos técnicos refinadíssimos?

Beijos, isto é, "aposição dos lábios sobre, neste caso, a face".

Flora disse...

Olha-m'este!!! Termos técnicos é no blog das bujigangas, pá!

Tu não me baralhes os blogs... Que naquele é tudo certinho e neste é que abardino tudo.

Beijo