Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Nonsense

Ele: "Posso dar-te o meu telefone?"

Ela:"Podes. Eu sou tenho um, dava-me jeito outro!"

4 comentários:

Ervi Mendel disse...

20 valores!

Maria do Desassossego disse...

Ervi,

Ena, ena! Mais um a gostar das minhas piadas:-D

Beijo

João Paulo Cardoso disse...

Essa é do género do post "Kafeína Kafkiana" lá no "Eldorado" que hoje fala sobre búfalos e guarda-chuvas.

Beijos.

PS:

Gosto muito da nova foto.

Faz-me lembrar a "Lolita" de Nabokov,não sei porquê.

Maria do Desassossego disse...

JP,

Já lá vou, amigo. Dá-me uns minutes, que isto 'tá hard!

Quanto à "Lolita", se tu não sabes, eu é que vou saber?;-)

Beijos