Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Assinatura

Do meu irmão, no postal de Natal lá para casa:

"Filho querido, irmão resignado, tio lindo."

E não! Não perguntem "porquê"!!! A esta eu chego sozinha.

2 comentários:

Mad disse...

LOOOL!

Definitivamente, tenho de o conhecer.

Maria do Desassossego disse...

Oh sim, com certeza! Juntam-se os dois e eu nunca mais folgo... Havia de ser lindo!