Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A minha vida é MESMO uma festa

Este fim-de-semana, desde "fofinha" a "calhau com dois olhos", chamaram-me de tudo.
Depois de uma noite surreal, apanho um email (também ele surreal, mas noutros moldes) duma tipa que anda a (tentar) chatear-me já há uns tempos.
Eu até poderia ter ignorado, mas da maneira como ando, estava mesmo a precisar de desancar em alguém, e esta put@ estava mesmo a jeito.
Vai daí, canalizei toda a raiva dos últimos dois meses na resposta ao tal email. Saí-me bem. Muito bem. Se a tipa voltar a mexer-se, do tanto que apanhou, é porque além de burra, é masoquista.
Além disso, ainda agora de manhã tive de levar com estes comentários: "Você está com ar de doente!", "Tens a certeza que dormiste?" e "Tens de te alimentar, vá!" e ainda, o mais engraçado de todos "Então esse fim-de-semana??".
Eh pá... larguem-me! Estou azeda, estragada, pior que podre, ok? Desaconselho a qualquer mortal o convívio comigo, nos próximos dias. Estou intragável, intratável e mais uma série de adjectivos nada agradavéis.
Estou capaz de pontapear na boca o próximo que fizer um comentário estúpido às minhas olheiras! Entendido?

5 comentários:

Pedro Viegas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Viegas disse...

A vida também é feita destes momentos, em que abanamos o esqueleto e deitamos diabinhos fora.
Quando eles ficam cá dentro, roem, fazem mal e adoecemos...!

Agora, recuperada e a respirar melhor, olhas o espelho e vês que afinal és linda, e não precisas dos comentários negativos dos outros para nada.

Força e coragem!
JP

Maria do Desassossego disse...

JP (o Viegas, não o Cardoso)

Pois... Em parte, tens razão.
Mas estou longe de estar recuperada. Acho que há coisas que nem sequer têm cura.

Obrigada pelo incentivo!

João Paulo Cardoso disse...

Estou certo que, mesmo com olheiras, que acho sexy by the way, a tua companhia nunca será intragável, intratável, detestável ou inflamável.

Beijos.

Maria do Desassossego disse...

JP,

És um querido! Sempre foste, disso não há dúvida.

Beijoca