Novela (que podia ser mexicana) com um número infindável de episódios e protagonistas a mais, vendida em pacotes económicos aos países do leste europeu. Enredo muito intrincado, malfeitores qb, doses exageradas de sacanices, facadas nas costas e muitas figurantes com língua de porteira. A única coisa que vale a pena no meio desta salganhada toda?! A protagonista, que interpreta este argumento sem mudar uma vírgula... ou não fosse isto a sua vida.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Update

Diz uma "estou muito orgulhosa de ti!" e vem a outra e bate palmas e o caraças.
Uma terceira diz que eu devia fazer o luto das coisas. "Luto?!". P'lo amor da santa (seja ela qual for!). Eu lá preciso de chorar mais! Livra.
A primeira, antes de ter falado no orgulho que a invadiu, mandou-me bater com a cabeça nas paredes. Até sair sangue. Mas isso foi antes de ver as fotos dos canitos. Agora já quer combinar encontros com o seu grande preto Aníbal (não é um preto que a sodomiza, não. É mesmo o grandannois dela. Já houve o Adolfo e a Ofélia, e ainda há o Jeremias - malta com bichos, enfim!).
E já agora: ACALMEM-SE LÁ, OK?

3 comentários:

Mad disse...

Eu estou com a dos canitos (duhhh!).

Aliás, nada como o pelo de outro cão para curar... aaaaaa... dentadas!

Dá-le, loira!

Maria do Desassossego disse...

Mad,

Insana! Eu dou-lhe... se me deixarem;-)

Beijos

xunana disse...

ai que lá está ela outra vez...